Resenhas de livros

Título Ano de leitura Breve resenha
Effective C++ 2004 O primeiro livro de boas práticas que li. Conteúdo excelente! Num formato similar ao de perguntas e respostas, Scott Meyers ensina de forma rápida, muito bem embasada e exemplificada algumas maneiras de aproveitar ao máximo a linguagem C++.
Head First HTML with CSS & XHTML 2007 Excelente livro para aprender HTML e CSS do zero e formar uma base sólida. O livro é grande, mas a leitura é leve. Também ensina como aprender com mais eficácia e eficiência. Padrão Head First de qualidade!
Effective Java 2011 Tão bom quanto o Effective C++. Segue a mesma linha, mas para Java. Explica direitinho algumas armadilhas da linguagem, como evitar diversos problemas e, novamente, como extrair o máximo dela.
The Pragmatic Programmer 2012 Contém muitas dicas de como programar com eficácia e profissionalismo. Algumas são ultrapassadas, como uso de objetos distribuídos CORBA. Mas a parte boa predomina. Tornou-se um clássico da área.
Test-Driven Development: By Example 2013 Indicadíssimo para quem quer aprender TDD. Kent Beck ensina desde a base até os padrões de design, conceituando muito bem e justificando cada ponto. O grande Kent Beck vai muito além do código, falando de profissionalismo, superação de barreiras, comunicação eficaz, felicidade etc. Esse livro me ensinou que, quando você quer aprender algo de verdade, deve buscar a fonte de verdade.
Refactoring: Improving the Design of Existing Code 2014 Se você já está acostumado a refatorar em Java usando o Eclipse, reconhecerá rapidamente o conteúdo desse histórico livro de 1999. O grande Martin Fowler escreve num estilo totalmente informal, com muitas passagens em primeira pessoa. Passo-a-passo cada um dos tipos de refatoração catalogados é explicado, convencendo qualquer um da importância desta prática. Abstraia os sinais de idade do código Java mostrado, que são muitos!
Introdução à Arquitetura e Design de Software: Uma visão sobre a plataforma Java 2014 Livro muito bom escrito pelo pessoal da Caelum, da editora Casa do Código. Explica muitas coisas interessantes sobre desenvolvimento em Java. Um exemplo de coisa legal que aprendi nesse livro: cópia geracional. Contrariando o senso comum, costuma ser mais eficiente criar pequenos objetinhos em memória e descartá-los rapidamente do que ficar mantendo cache deles.
Rework 2014 Tudo aquilo em que eu sempre acreditei em forma de livro. Extremamente inspirador, traz a experiência prática de David Heinemeier Hansson (DHH – criador do Ruby on Rails) e Jason Fried com a administração de uma empresa em moldes totalmente fora do convencional. Leitura muito rápida e agradável, de dois autores muito firmes e verdadeiros naquilo em que acreditam. Eles mostram que é possível, sim, conciliar uma empresa muito lucrativa com equilíbrio e felicidade.
Padrões de Implementação 2015 Kent Beck mostra uma série de padrões de como estruturar código para aproveitar bem o potencial da orientação a objetos. O livro é curto e vai direto ao ponto.
Entrega Contínua 2015 (abandonado) O assunto é muito interessante e importante. Infelizmente, o livro decepciona. O conteúdo é extremamente repetitivo e demora demais para engrenar (se é que engrena). Com muito sofrimento, consegui passar dos dois primeiros capítulos para, então, cansar e abandonar o livro no início do terceiro. Custei a acreditar que o livro inaugural do assunto fosse realmente assim, mas procurei resenhas na Amazon e encontrei várias pessoas que tiveram a mesma impressão.
Design Patterns 2015 O lendário livro de 1994 da turminha dos quatro (GoF). Apresenta sinais da idade, mas as ideias contidas nele são muito valiosas. O livro não é grosso, mas a leitura é pesada. Levei muitos meses para terminar. Valeu a pena, principalmente pelo valor histórico. Para entender o código, é necessário conhecer C++ o suficiente para entender classes, métodos abstratos, herança e polimorfismo.
Trabalho Eficaz com Código Legado 2015 (pausado) Michael Feathers tem um estilo que mistura a filosofia do Kent Beck com a informalidade do Martin Fowler. Este livro é bem grande. Acredito que deva ser encarado como um catálogo de soluções de problemas ao trabalhar com sistemas legados. Você procura o seu problema no índice e lê somente aquele capítulo. Eu estou lendo o livro do início ao fim e percebendo que assim fica meio monótono e um pouco repetitivo. A parte boa é que o livro descreve situações muito familiares, que te fazem perceber que mais gente já passou pelos mesmos problemas que você!
Programando em Go: Crie aplicações com a linguagem do Google 2015 Da Casa do Código, explica bem a teoria e a prática, com clareza, usando exemplos ilustrativos e indo direto ao ponto. Go é uma espécie de linguagem C aprimorada, focada em concorrência. Os últimos capítulos ensinam passo-a-passo a criar uma aplicação real, um encurtador de URL. Muito legal!
Getting Real 2015 Mais um ótimo livro do DHH e Jason Fried, foi liberado de graça pelos autores (veja em HTML ou em PDF). É o antecessor do Rework. Assim como ele, é uma leitura leve e fácil. Mesmo sendo mais antigo, vale a pena ler! Ele foca mais em como manter uma aplicação web, enquanto o Rework é mais sobre trabalho em geral. Cheio de ideias interessantes e inspiradoras.
Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas 2015 Se você quer aprimorar suas habilidades sociais, leia este livro. A primeira coisa que me chamou a atenção: foi publicado inicialmente em 1936! Conteúdo muito bom, direto ao ponto, recheado de histórias práticas. Não há nenhuma ideia mirabolante, e, sim, conceitos relativamente simples e muito bem apresentados.
WTF is wrong with videogames 2016 O autor é um jornalista da área, que critica a mesmice atual da indústria de jogos. Achei muito interessante ver finalmente um material que critica, construtivamente, a postura vigente nesse mercado, que às vezes inova pouco e fica repetindo as fórmulas tradicionais de sucesso.
The state of play 2016 Mais um livro sobre o estado da arte na área de jogos digitais. É uma coleção de ensaios de vários autores sobre a diversidade. Há autores de diferentes etnias, gêneros e orientações sexuais. É muito interessante conhecer suas visões de mundo para ampliar os horizontes.
Seven languages in seven weeks 2016 (pausado) Ruby, Io, Prolog, Scala, Erlang, Clojure e Haskell. Será mesmo que dá para aprender tudo isso em sete semanas? Espero que sim! É da série Pragmatic Bookshelf. Comecei a ler e parece promissor, bastante prático e objetivo. O intuito é aprender o suficiente para ter noção do que cada linguagem tem a oferecer de bom.

Alguns dos próximos da fila, sem uma ordem definida:

  • Understanding Computation
  • Domain-Driven Design
  • Clean Code
  • The Clean Coder
  • Patterns of Enterprise Application Architecture

E você? Leu alguns desses livros ou outros que achou interessante? Deixe um comentário abaixo com suas opiniões!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s