Uma horta de folhas

Cultura

Cultura… Quantos significados diferentes tem essa palavra! Possivelmente, você já tenha pensado na relação entre cultura no sentido de “cultura de um povo” e cultura no sentido de “cultivo de alimentos” (como cultura de brócolis, cultura de alface etc.).

A cultura de um povo funciona da mesma maneira que a agricultura: você produz, você consome, você colhe o que planta.

Muitas pessoas se enxergam como alheias à cultura. Elas acham que estão fora do sistema.

Porém, quem é que está de fato fora do sistema? Ninguém. Todo mundo produz alguma coisa, todo mundo consome alguma coisa. Um simples parágrafo que você escrever no Facebook será lido por muitas pessoas e influenciará, direta ou indiretamente, as ações dessas pessoas.

Tudo o que se faz tem consequências. Se você estudar mais hoje, terá mais conhecimento amanhã. Se você tratar sua família melhor hoje, terá uma relação melhor com ela amanhã.

Todo mundo é responsável pelo que faz. Somos vítimas ou protagonistas? Vi essa ideia numa palestra de Érica Briones, no TDC São Paulo 2015. Você pode enxergar uma relação entre você e tudo o que o cerca e ter o poder de mudar as coisas, ou considerar-se vítima de tudo e achar que não pode mudar nada. Dos dois jeitos, você estará certo.

A cultura funciona assim, também. Tudo o que você enxerga nas ruas, nas aulas, na televisão e nas empresas é resultado daquilo que cultivamos, tanto no presente como no passado (ambiguidade oportuna do verbo!). Você pode viver de qualquer jeito, ou pode ser seletivo e abandonar o que é ruim e potencializar o que é bom. A escolha é sua! Aliás, a escolha é nossa!